Vale a pena ler:
PULP
CHARLES BUKOWSKI

domingo, 25 de setembro de 2011

Leia e pense...

O maior infortúnio não é o que suportamos, mas o sofrimento que infligimos.
                                              (Francisco de Bastos Cordeiro)
INDAGAÇÕES

Por que tentando ajudar, prejudico?
Por que tentando explicar, só complico?
Por que tentando orientar, desoriento?
Por que tentando aproximar, afugento?
Por que tentando proteger, sufoco?
Por que tentando libertar, aprisiono?
Por que tentando agradar, desagrado?
Por que tentando melhorar, só pioro?
Por que tentando acertar, sempre erro?
Por que quando amando, não retribuído?
Por que sendo fiel, sou traído?
Por que tentando viver, não consigo?
Por que querendo morrer, estou vivo?

                                      Autor: Cicero Fernando Coutinho

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Grande oportunidade...

Temos o prazer de apresentar aos leitores do Gotas de Leitura nossa editora on-line com sistema de auto-publicação sob demanda, para autores independentes, professores, cursos e empresas: Bookmakers Editora.

"Somos apaixonados por livros e, combinando nossa paixão com nosso conhecimento de negócios, criamos uma editora que é feita para você, escritor e amante de livros.

Acreditamos que uma editora existe para seus autores e leitores, que é feita para ajudá-los a criar e transformar em realidade - impressa em papel ou como livro digital - ideias e paixões.

Todo aquele que traz dentro de si a vontade e a coragem para criar um livro deve, como princípio básico, ser capaz de transformar vontade e ideias em livros para que seja possível compartilhá-las com os amigos, leitores, outros autores."
Visite nosso site: http://www.bookmakerseditora.com.br/, e conheça nossos pacotes. Distribuímos para grandes livrarias brasileiras, como Saraiva e Travessa, entre outras, e também disponibilizamos seu livro em formato digital para sites de vendas como Amazon.

Abraços,

Carlos Irineu da Costa - Diretor
carlos@bookmakerseditora.com.br

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Vale a pena conferir:

 ‘UM LUGAR ESCURO – BASEADO EM UMA HISTÓRIA REAL


Leonardo Zegur, escritor carioca, conta a história de um jovem discriminado pela sociedade por não possuir os padrões exigidos pela cultura popular


O livro UM LUGAR ESCURO – BASEADO EM UMA HISTÓRIA REAL, de Leonardo Zegur, primeiro de sua carreira como escritor, aborda temas atuais como descriminação, bullying e vício em tecnologia e internet. A história foi baseada em elementos da vida de dois amigos do autor.

O autor define o livro como um romance psicológico naturalista, em que narra a história de um jovem carioca, morador da Zona Norte, tentando coexistir em uma sociedade onde é discriminado por não possuir os padrões exigidos pela cultura popular local. Na tentativa de se posicionar dentro de outra realidade, o jovem se transforma numa pessoa que nunca quis ser, sofrendo assim com as consequências deste comportamento.

A trama, que acontece no Rio de Janeiro, dentre muitos bairros, Quintino e Encantado, mostra que para lidar com o sentimento de rejeição, o protagonista acaba se envolvendo em uma onda de assassinatos canalizados em moças jovens e bonitas. Com a divulgação destas notícias nos tabloides, o jovem atrai seguidores em todo Brasil que se identificam com suas causas.

Para que o leitor pudesse participar integralmente e se colocar como personagem principal da trama, o autor, de forma proposital, preferiu não dar nome ao protagonista. Além disso, o livro mostra um Rio de Janeiro sobre outro ponto de vista, presumindo consequências desencadeadas pelas falhas do sistema que rege a sociedade.
Com um texto denso e extremamente visual, UM LUGAR ESCURO – BASEADO EM UMA HISTÓRIA REAL, sinaliza que a vida em uma sociedade complexa não é tão simples. Cada minuto que se passa é uma vitória, vencendo todo tipo de preconceito.

Sobre o autor
Leonardo Zegur, é um escritor carioca, de 28 anos. Psicólogo, sempre em formação, passou pela Escola de Música Villa-Lobos. Entre suas paixões, além da música, estão a fotografia e a pintura. Como contador de história descobriu que o dote da escrita não se restringe a uma excelsa dádiva e, a partir daí, começou a fazer do papel o portal de entrada para seus mundos de criatividade.